As refeições tradicionais são preparadas e servidas com a intenção de agradar não só aos olhos, como também ao paladar. Os ingredientes e o cardápio são escolhidos de acordo com a estação do ano, região e ocasião.

Os utensílios são selecionados de forma que fiquem em perfeita harmonia com a textura e aparência da refeição que, de acordo com os japoneses, deve ser saboreada com a boca, os olhos e o coração.

A influência budista
A cozinha japonesa se desenvolveu em um estado de completo isolamento adquirido em estilo único. Algumas crenças budistas que proibiam a ingestão de carne junto a elementos da natureza, restringiam a escolha alimentar, fazendo com que os principais ingredientes da cozinha japonesa consistissem em arroz, macarrão, vegetais, conservas, frutos do mar, produtos derivados da soja e frutas.

De certa forma, esta prática continua até hoje. Mas ironicamente, apesar de tais ingredientes serem altamente recomendados por nutricionistas, os japoneses não seguem o conselho e consomem cada vez mais carne e laticínios.

O Japão está mais do que na moda e por isso o interesse por sua cultura, principalmente por sua culinária, está em alta. Se você já era adepto a bons pratos ou anda seriamente inclinado a provar das delícias do oriente, saiba que existem detalhes preciosos que podem fazer muita diferença na hora de saboreá-los.

Servido com a intenção de agradar aos olhos e ao paladar, o cardápio é escolhido de acordo com a ocasião, estação do ano, e a região. Tudo o que será utilizado na cerimônia tem que estar de acordo com a textura e a aparência dos alimentos, para poderem ser saboreados com a boca, os olhos e o coração. Por ter sido desenvolvida isoladamente e com a influência da crença budista, a culinária japonesa não usa a carne, mas dá sinal verde para o arroz, o macarrão, vegetais, conservas, produtos derivados da soja, frutas e frutos do mar.

Para preparar um jantar tipicamente japonês não são apenas os utensílios que precisam de atenção. O melhor está em seguir alguns costumes "básicos". Anote aí:

As refeições
Antes de saborear o prato do dia, diga a palavra "itadakimasu", que é um agradecimento pela refeição.
Jamais finque os hashis (palitos de madeira usados como "talheres") nos alimentos ou passe o alimento de um hashi para outro. Isso só acontece em funerais.
Não se assuste se algum convidado fizer barulho ao tomar "Lamen" ou "Soba" (sopas japonesas), pois ambas possuem macarrões que são sugados ao serem ingeridos.
Ao terminar a refeição diga "Gochisou sama deshita" (pronuncie gotissô sama deshitá), forma de agradecer pela refeição e dizer que estava saboroso.

O Saké
A bebida mais famosa do Japão deve ser servida quente para que o aroma se desprenda, e tomada em pequenos goles. Para que isso aconteça, coloque a garrafa de saké aberta em uma panela com água fervente e só a retire de lá quando a temperatura atingir 40º C. Para servir, coloque o líquido em uma "tokkuri" (garrafa adequada para saké) e sirva os convidados nos "sazakuki" (copinhos que acompanham a garrafa).

O Chá
O chá foi trazido da China e introduzido no Japão por volta do século VIII. O "matcha" (chá verde pulverizado) só chegou lá no século XII. Muito precioso, era usado principalmente como bebida, mas também considerado como remédio. A cerimônia de beber o "matcha" é chamada "chanoyu". Desenvolvida sob a influência do budismo, seu objetvo é purificar a alma do homem, confundindo-a com a natureza. Para servir o chá, coloque-o em uma chaleira apropriada, acompanhada de cumbucas.

Print Friendly and PDF

Leave a Reply

    Translate

    Compartilhe este blog

    twitter orkut facebook digg favorites mais

    Google+ Badge

    Já visitaram...


    localizar via ip

    Follow by Email



    Já viram esta cozinha ...

    Followers

    Agradecimento

    Agradecimento
    Agradeço eventuais matérias e ou fotos dando assim os também eventuais créditos. Se alguém, por qualquer motivo, achar que estou violando direitos autorais, entre em contato que a publicação será devidamente creditada ou ainda retirada.